segunda-feira, setembro 21, 2009

O ROMANCE DE 1930 - ATIVIDADE 83B, 83C e 83D


Conforme estudado em sala de aula, por meio do livro didático Português: Contexto, interlocução e sentido - Volume 3, faça uma releitura de todo o capítulo 5 - parte de Literatura - e dos exercícios realizados e depois faça a proposta da página 133. Siga as instruções do arquivo linkado abaixo:


Instruções para abrir arquivo:

1. Clique no link. Em seguida coloque a senha ctilpl (todas as letras em minúscula) para ter acesso ao arquivo ROMANCE.1930, o qual contém todas as intruções acerca da atividade a ser realizada.

11 comentários:

Tháa. disse...

Romance de 30 ou Neorealismo

Em função do predomínio da temática rural, generalizou-se também o conceito de romance regionalista para indicar os relatos da época, apesar de alguns romances urbanos fazerem parte do mesmo período.
As características comuns aos romances de 30 são o retrato direto da realidade em seus elementos históricos e sociais. A década foi marcada também por um impressionante florescimento de estudos sobre a sociedade brasileira.
É uma época de efervescência política no país e no mundo: no Brasil Getúlio Vargas assume depois de uma Revolução e inauguraria o Estado Novo. Mundo vive o período entre-guerras. O escritor, ao invés de pegar em armas, usa a ficção, a descrição e o romance como forma de denunciar as desigualdades e injustiças.
Vidas Secas: crítica social a toda pobreza no sertão nordestino, que atinge uma boa parcela da população, e que, de fato, acaba por prejudicar todo o país, impedindo maiores desenvolvimentos. Há a tentativa, portanto, de se mostrar a desarticulação dessa região com o resto do país (um Brasil pobre dentro de todo o Brasil). "Vidas" se opõe a "Secas, são marcadas por sentidos opostos. Ainda hoje, mesmo com toda a ajuda do governo para o nordeste com bolsas de auxílio, há muita miséria, seca e migrantes.
O Quinze: O título do livro evoca a terrível seca do Ceará de 1915. É um romance regionalista de temática social. O lado introspectivo, psicológico é uma constante em toda a narrativa. É como se a seca, responsável por tantos infortúnios, fosse causadora de mais um: a impossibilidade de ser feliz para quem tem consciência da miséria.
Capitães da Areia: O que o livro nos transmite, na verdade, é o fato de cada um dos garotos tentar substituir o amor de mãe que lhes falta. Contudo, a realidade é que, por mais que eles tentem, esse carinho não pode ser substituído e que há sempre o espaço vazio nos seus corações, o que os leva a continuar a conduzir a vida, na maior parte dos casos, pela criminalidade. Mostra também que o problema desses meninos faz parte da nossa realidade e que não são todas as pessoas que se preocupam com isso, tratando esses meninos como delinquentes, a cada esquina há um garoto assim, mas preferimos fingir que não vemos a ajudá-los.
Fogo morto: mostra o ambiente de engenho. O ciclo apresenta, portanto, o processo de decadência dos engenhos que perdem seu poder, tornando-se reféns dos preços pagos pelas usinas e são engolidos pelas forças emergentes da usina e do capitalismo moderno. Atualmente ocorre no meio rural e urbano a perca para as grandes empresas, que dominam o espaço trabalhista geralmente já completa. Não dependem dos pequenos empresários e comerciantes.
Os romancistas de 30 caracterizavam-se por adotarem visão crítica das relações sociais, regionalismo ressaltando o homem hostilizado pelo ambiente, pela terra, cidade, o homem devorado pelos problemas que o meio lhe impõe. As obras nordestinas escritas na década de 1930 se inserem na linha do Realismo crítico.

Thaís Caroline nº24 73-B

Anônimo disse...

TURMA 83C Nº 11



MUDANÇA IDEOLÓGICA

Em meio a uma época muito conturbada tanto politicamente como economicamente, surge um gênero literário que revolucionou uma forma de escrita, superando o caráter pessoal do romantismo, inserindo-se em um contexto. Surge o romantismo de 1930.
Os artistas da época tomaram consciência de que a sociedade na qual estavam inseridos era problemática, tendo como exemplo o sertão nordestino, onde havia fome e seca. Desde então a literatura tornou-se mais politizada, buscando uma conscientização geral do problema em questão.
A partir de então houve uma maior preocupação em relatar não só um personagem, e sim todo um problema social de uma região ou mesmo da sociedade em um todo, envolvendo o personagem.
Romances como Vidas Secas (Graciliano Ramos) mostra injustiças sociais, e as dificuldades de pessoas marginalizadas. Sua temática é atual, já que o contexto muda, mas a realidade não.
A tomada dessa consciência dos artistas, ampliou a visão crítica das pessoas sobre a sociedade que estavam inseridas, dando início a uma nova fase literária em que as pessoas passaram a tomar uma posição política sobre um problema social.

Anônimo disse...

TURMA 83C Nº 12



AMPLIANDO CONCEITOS


1930: Final da República Velha, início da Era Vargas, desemprego, fome e falências em função da Grande Depressão, e talvez, possa-se dizer, início do Romance brasileiro.
A década de 30 trouxe muitas mudanças para os brasileiros. Entre revoltas e conquistas políticas, o movimento modernista foi se consolidando e amadurecendo as idéias da geração de 1922.
Os artistas dessa época passaram a questionar mais a realidade a que estavam inseridos e seus poderes de melhorá-la. Nasceu assim uma literatura mais politizada e reflexiva que buscava denunciar as injustiças sociais e as razões desses fenômenos ocorrerem.
Esse estilo literário, ao contrário do regionalista que se limitava a mostrar um objeto do meio, se preocupava em entender e denunciar a realidade criadora do mesmo, de forma a superar o antigo modelo literário e mostrar que o aspecto regional é um meio de revelar a luta de classes.
Foi uma tomada da verdadeira situação do povo brasileiro através dos artistas que se empenharam em mostra - lá e, portanto formou-se uma nova fachada para o país.

Anônimo disse...

Nome:Leandro N:18 53A/83C





O romance de 1930

A divulgação do modernismo ocorreu entre os anos de 1925 a 1930 pelos vários estados brasileiros. Em 1926 o centro regionalista do nordeste, com sede em Recife, lança o manifesto regionalista, o qual procura “desenvolver o sentimento de unidade do nordeste” dentro dos novos valores modernistas.
Sua proposta era “trabalhar em prol dos interesses da região nos seus diversos aspectos: sociais, econômicos e culturais”. ’O Centro também promoveu conferências, exposições de arte, e até editou uma revista.
A partir dos anos 1930,o regionalismo nordestino resultou em brilhantes obras literárias,no romance com Graciliano Ramos,José Lins do Rego,José Américo de Almeida,Rachel de Queiroz e Jorge Amado,e na poesia com João Cabral de Melo Neto.
Em 1943,José Lins do Rego pronunciou uma conferência chamada de Tendências
do Romance Brasileiro,época em que o romance regionalista já estava consolidado,essa
conferência destacou com muito vigor e emoção o encontro do escritor com seu povo,
uma das características do moderno romance brasileiro.

Anônimo disse...

Nome:Leandro N:18 53A/83C





O romance de 1930

A divulgação do modernismo ocorreu entre os anos de 1925 a 1930 pelos vários estados brasileiros. Em 1926 o centro regionalista do nordeste, com sede em Recife, lança o manifesto regionalista, o qual procura “desenvolver o sentimento de unidade do nordeste” dentro dos novos valores modernistas.
Sua proposta era “trabalhar em prol dos interesses da região nos seus diversos aspectos: sociais, econômicos e culturais”. ’O Centro também promoveu conferências, exposições de arte, e até editou uma revista.
A partir dos anos 1930,o regionalismo nordestino resultou em brilhantes obras literárias,no romance com Graciliano Ramos,José Lins do Rego,José Américo de Almeida,Rachel de Queiroz e Jorge Amado,e na poesia com João Cabral de Melo Neto.
Em 1943,José Lins do Rego pronunciou uma conferência chamada de Tendências
do Romance Brasileiro,época em que o romance regionalista já estava consolidado,essa
conferência destacou com muito vigor e emoção o encontro do escritor com seu povo,
uma das características do moderno romance brasileiro.

Tháa. disse...

Romance de 30 ou Neorrealismo

Em função do predomínio da temática rural, generalizou-se também o conceito de romance regionalista para indicar os relatos da época, apesar de alguns romances urbanos fazerem parte do mesmo período.
As características comuns aos romances de 30 são o retrato direto da realidade em seus elementos históricos e sociais. A década foi marcada também por um impressionante florescimento de estudos sobre a sociedade brasileira.
É uma época de efervescência política no país e no mundo: no Brasil Getúlio Vargas assume depois de uma Revolução e inauguraria o Estado Novo. Mundo vive o período entre-guerras. O escritor, ao invés de pegar em armas, usa a ficção, a descrição e o romance como forma de denunciar as desigualdades e injustiças.
Vidas Secas: crítica social a toda pobreza no sertão nordestino, que atinge uma boa parcela da população, e que, de fato, acaba por prejudicar todo o país, impedindo maiores desenvolvimentos. Há a tentativa, portanto, de se mostrar a desarticulação dessa região com o resto do país (um Brasil pobre dentro de todo o Brasil). "Vidas" se opõe a "Secas, são marcadas por sentidos opostos. Ainda hoje, mesmo com toda a ajuda do governo para o nordeste com bolsas de auxílio, há muita miséria, seca e migrantes.
O Quinze: O título do livro evoca a terrível seca do Ceará de 1915. É um romance regionalista de temática social. O lado introspectivo, psicológico é uma constante em toda a narrativa. É como se a seca, responsável por tantos infortúnios, fosse causadora de mais um: a impossibilidade de ser feliz para quem tem consciência da miséria.
Capitães da Areia: O que o livro nos transmite, na verdade, é o fato de cada um dos garotos tentar substituir o amor de mãe que lhes falta. Contudo, a realidade é que, por mais que eles tentem, esse carinho não pode ser substituído e que há sempre o espaço vazio nos seus corações, o que os leva a continuar a conduzir a vida, na maior parte dos casos, pela criminalidade. Mostra também que o problema desses meninos faz parte da nossa realidade e que não são todas as pessoas que se preocupam com isso, tratando esses meninos como delinquentes, a cada esquina há um garoto assim, mas preferimos fingir que não vemos a ajudá-los.
Fogo morto: mostra o ambiente de engenho. O ciclo apresenta, portanto, o processo de decadência dos engenhos que perdem seu poder, tornando-se reféns dos preços pagos pelas usinas e são engolidos pelas forças emergentes da usina e do capitalismo moderno. Atualmente ocorre no meio rural e urbano a perca para as grandes empresas, que dominam o espaço trabalhista geralmente já completa. Não dependem dos pequenos empresários e comerciantes.
Os romancistas de 30 caracterizavam-se por adotarem visão crítica das relações sociais, regionalismo ressaltando o homem hostilizado pelo ambiente, pela terra, cidade, o homem devorado pelos problemas que o meio lhe impõe. As obras nordestinas escritas na década de 1930 se inserem na linha do Realismo crítico.

Thaís Caroline nº24 73-B

samuel disse...

83c nº28


Título: ''Nova situação, novo regime, nova forma de escrever''
Década de 1930, o Brasil assim como o munda é palco de várias ocorrências adivindas da grande depressão.
Época e que o Brasil vivia o início de um período chamado Era Vargas, e período também marcado pelo início do romantismo brasileiro.
Essa granda revolução literária veio para abranger a situação brasileira que estava em um contexto atribulado na história, epóca onde era de grande importância que os romancistas falassem desse meio social, isso foi considerado uma revolução pois quebrou o regionalismo na literatura e abrangeu todo o contexto bnrasileiro.
Uma dessas situaçãoes foi a luta de classes, que se evidenciou mais graças a crise mundial, e a literatura veio de encontro a isso, revelando a situação do povo e do país através da escrita, que é e sempre foi um grande veículo que se desenvolveu muito após a geração de 22.
Essa foi a principal função do romantismo, revelar os acontecimentos, agora não mais regionais mas como um todo no Brasil, afim de caracterizar o povo e o país através da literatura.

Nº: 27 83C disse...

Romance Brasileiro

O romance da geração de 1930, resultou em brilhantes obras literárias, com nomes que vão de Graciliano Ramos, José Lins do Rego, José Américo de Almeida, Rachel de Queiroz e Jorge Amado, no romance, a João Cabral de Melo Neto, na poesia graças ao regionalismo nordestino.
Buscando desenvolver o sentimento de unidadedo Nordeste dentro dos novos valores modernistas, deram origem a propostas como "trabalharem prol dos interesses da região nos seus aspectos diversos: sociais, econômicos e culturais", transformando o regionalismo pitoresco do romantismo num romance social em que o aspecto regional é um meio de revelar a luta de classes.
Tal revolução na escrita brasileira, criou as "Tendências do romance brasileiro", em que destaca-se com muito vigor e emoção o encontro do escritor com seu povo, uma das características do moderno romance brasileiro.

Anônimo disse...

Nº: 27 53A/83C

Romance Brasileiro

O romance da geração de 1930, resultou em brilhantes obras literárias,com nomes que vão de Graciliano Ramos, José Lins do Rego, José Américo de Almeida, Rachel de Queiroz e Jorge Amado, no romance , João Cabral de Melo Neto, a poesia graças ao regionalismo nordestino.
Buscando desenvolver o sentimento de unidade do Nordeste dentro dos novos valores modernistas, deram origem a propostas como "trabalhar em prol dos interesses da região nos seus aspectos diversos: sociais, econômicos e culturais", transformando o regionalismo pitoresco do romantismo num romance social em que o aspecto regional é um meio de revelar a luta de classes.
Tal revolução na escrita brasileira, criaram as "Têndencias do Romance Brasileiro", em que destaca-se com muito vigor e emoção o encontro do escritor com seu povo, uma das características do moderno romance brasileiro.

Anônimo disse...

Romance de 1930 - Antônio Cândido

Ao tratar da Nova narrativa, Antônio Cândido começa por traçar um rápido percurso histórico para que melhor que compreendamos este movimento.
Partindo do perfilda literatura latino-americana, esta possui aspectos comuns do mesmo fenômeno literário que é a nova narrativa.
Alguns traços da literatura latino-americana do final do séc. XIX e início do séc. XX, abordado por Antônio Cândido, possuem características que dão um caráter comun à narrativa e que podem ser observado de vários ângulos.Primeiro a urbanização crescente e desumana, devido ao processo industrial, levando milhares de famílias ao êxodo rural, deparando-os com um capitalismo aniquilador.
No aspecto cultural as artes em geral eram fortementes influenciadas pelos Estados Unidos.
No Brasil as raízes das tendências
atuais tiveram posturas antagônicas em relação a existência ou nãode uma literatura independente, autenticamente brasileira. Há quem diga que a independencia literária do Brasil culminou com o romantismo, surgindo pouco depois o regionalismo da ficção, assinalando as peculiaridades locais e mostrando cada uma delas como outras tantas maneiras de ser brasileiro.
Vinculando a literatura da Terra, o Brasil era melhor representado, pois tratava de assuntos peculiares ao Pais.

Nome:João Vitor Vicente nº16 83C

Filipe disse...

Turma 83C, n.º 07



A Conscientização da Prosa

A grande mudança que a prosa brasileira sofreu a partir da década de 1930 se deve, principalmente, ao enlace que se deu entre os escritores nordestinos e teve como resultado consolidação de uma corrente modernista mais contida, cientificista, racional e questionadora, sendo expressa pelo Manifesto Regionalista de 1926. A literatura tornou-se um veículo de contestação da ordem social, rompendo com legado do Romantismo. Nesse novo quadro a temática era social e política, não meramente estilística.
A primeira geração modernista, pelo seu caráter festivo e revoltoso, estabeleceu um novo conceito de arte, todavia, a consolidação de tais conceitos demorou a surgir, principalmente fora dos centros culturais e intelectuais, a exemplo do Nordeste. Desta forma, era perceptível a herança romântica e pré-modernista na prosa.
A figura do sertanejo, se não fosse idealizada, segundo os preceitos piegas de José de Alencar, eram, não obstante, satírica, como as descrições de Monteiro Lobato de seu Jeca Tatu, mesmo sendo esta personagem um típico caipira paulista. O projeto estabelecido pelos novos escritores (José Lins do Rego, Graciliano Ramos, José Américo Almeida, Rachel de Queiroz e Jorge Amado) era incompatível com a estereotipação das camadas populares. Assim, o rompimento se deu com o fim dos antigos arquétipos e a tomada de uma postura Neo-realista.
Vemos que o sentimentalismo assume caráter pouco relevante e a crítica social é estabelecida e peculiarmente construída. A visão desses autores torna-se universalista a partir do momento no qual a população deixa de ser usada como objeto e torna-se alicerce da escrita. Os temas mais abordados eram: a questão da migração em direção ao Sudeste, a seca, a fome, a manipulação política, a concentração de terra e as condições patéticas de subsistência.
O Determinismo empregado por Zola está de volta, mesmo que de uma perspectiva sutil, mostrando como o meio pode influenciar o ser e como as atitudes e os pensamentos estão intrinsecamente ligados ao instinto.
Assim, pode dizer que a geração literária da década de 1930 teve como marca o rompimento com o regionalismo pitoresco até então em voga, já que o objetivo dos artistas era a crítica e a conscientização da situação deplorável da população e esse caráter ‘não-cientificista’ não levava a tais fins.